O CAÇA DRAGÕES

Março 22, 2012

     Image      

Benfica  3  x  F. C. Porto  2

 

Da Invicta Urbe onze dragões partiram

Subindo ao gramado da Catedral

Tentando conquistar mais um Graal

P’ ro digno tabernáculo qu’ erigiram.

 

Dos pináculos rubros sobressaíram

As altaneiras Águias a voar

Que aos poucos conseguiram dominar

Os ferozes Dragões qu’ enfim caíram.

 

O prélio sempre aceso dos dois lados

Pôs a nu os dois sonhos projectados

Até surgir do alto, coisa rara…

 

Redonda “Excalibur” envenenada.

A chama dos Dragões foi apagada

P’ la magia do pé do Tacuara.

  

Frassino Machado

In RODA VIVA

Anúncios

VIVER A VIDA – Louvor à 3ª Idade

Março 7, 2012
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
A Terceira Vida
 
Questiona-se esta Idade
Por já não ter condição
Olvidando a qualidade
Que lhe vai no coração.
 
Entre todos os conceitos
Que esta causa possa ter
É o mais puro dos preceitos
Qu’ à alma faz renascer.
 
E se houver outra razão
Que o mundo possa conter
Esta é a nobre paixão
Que vale a pena viver.
 
 
Frassino Machado
In POEMETOS

GANHAR E PERDER

Fevereiro 24, 2012

A Vida é dos audazes

 No agir quotidiano onde se ganha ou perde
Dos meandros desgarrados da humana odisseia
Toda a pessoa faz história cedo ou tarde
Qu’ às vezes dá angústia outras vezes premeia.
 
As coisas que se fazem em cada momento
São sempre relativas, de sucesso ou não,
Há mister conciliar o sonho e o provento
Para que haja prazer em toda a condição.
 
Ó Musa e cantos meus, se versejar não soube,
Usando a lira que a minha arte joeirou,
Não deixeis qu’ a razão alguma vez me roube
Aquela inspiração que a mente celebrou.
 
E se ao longo da vida desenganos houve
Saiba ao menos perder o que ganhar não soube!
 
 
Frassino Machado
In ODISSEIA DA ALMA

SENHORA DA HIPOCRISIA

Fevereiro 23, 2012

A máscara da ficção

 
 Vê lá bem, ó Alfacinha:
Já pensaste na vergonha
Qu’ a criançada medonha
Produziu n’ aquela alminha?
 
Que se temam os adultos
É próprio de Presidentes
Mas. ter medo de inocentes,
É ser fraco entre os incultos.
 
Senhora da Hipocrisia
Diz-me lá se tens azia
Desta triste refeição…
 
Toda a gente sabe bem
Que p’ ra ir até Belém
Só p’ los votos da eleição!
 
 
Frassino Machado
In MUSA VIAJANTE

NOSSA SENHORA DO MEDO

Fevereiro 22, 2012

Virgem do Socorro

Triste saga aconteceu
Na lusa Urbe primordial
Deste ameno Portugal
Qu’ inda agora alvoreceu.

Após “recados” que deu
Fez-se à estrada o Maioral
Mas o povo do Toural
Seus pecados repreendeu.

Nossa Senhora do Medo
Diz-me cá, mesmo em segredo,
Qual é a Tua opinião:

Pode um fraco Presidente
Fazer fraca a forte gente
Para mal desta Nação?

Frassino Machado
In MUSA VIAJANTE

 

 

MÁSCARA DE NADADOR

Fevereiro 18, 2012

E o sonho se fez água

Vai vestir uma máscara de nadador
Nesta piscina muito bem aparelhada
No fim direi minha opinião abalizada
E se há mister de um outro nível contrapor.
 
Na água límpida eu lá me fui dispor
Seguindo a ordem da instrutora delicada
Cumprir tentando melhorar cada braçada
Ansiando dar a ideia de algum primor.
 
 Que se passou ali ao fundo desta pista,
Pergunta a mestra ao ver-me de tosse e aflito,
Não dava certo e entrou cá um pirolito…
Eu estava a brincar, continue, não desista.
 
Pois é, um burro velho não toma andadura
E se por si a toma já pouco lhe dura!
 
 
Frassino Machado
In AS MINHAS ANDANÇAS 

O SEMEADOR

Fevereiro 16, 2012

Saga da semente

 
Partiu o semeador
A lançar sua semente
Todavia esta semente
Tarda muito em renascer:
Terra fértil sem fermento
Fruto não consegue ter.
 
Semeador, semeador,
Volta sempre a semear!
 
Partiu o semeador
A aguar sua seara,
Todavia esta seara
Tarda muito em germinar:
Terra fértil sem frescura
Fruto não pode criar.
  
Semeador, semeador,
Volta sempre a semear!
 
Partiu o semeador
A mondar o seu trigal,
Todavia este trigal
Tarda muito em florir:
Terra fértil sem suor
Fruto não há-de parir.
 
Semeador, semeador,
Volta sempre a semear!
 
Partiu o semeador
A ceifar o seu espigal,
Todavia este espigal
Tarda muito a aloirar:
Terra fértil sem calor
Fruto não pode gerar.
 
Semeador, semeador,
Volta sempre a semear!
 
Partiu o semeador
P´ra guardar o cereal,
Todavia o cereal
Tarda muito a joeirar:
Terra fértil sem verdade
Fruto não pode esperar.
 
Semeador, semeador,
Volta sempre a semear!
 
Frassino Machado
In CANCIONEIRO

O SONHO DE SÃO VALENTIM

Fevereiro 15, 2012
 
Homenagem aos
Verdadeiros Namorados
  
O bom São Valentim também sonhou
Estar, um dia, muito apaixonado
Seu amor procurou por todo o lado
Mas todavia nunca o encontrou.
 
Depois de muitos anos de aventura
Julgando sua paixão atraiçoada
Regressou à mansão abandonada
Chorando o triste fado em amargura.
 
Sentindo as emoções sempre à deriva
Jurou, numa promessa decisiva,
As núpcias da amizade em vez de amor.
 
Voltou a ser feliz desta maneira
Numa ventura profunda e verdadeira
Que seu fiel coração iluminou!
 
 
Frassino Machado
In JANELAS DA ALMA, 14-02-2012

DE MIM PARA O MUNDO

Fevereiro 14, 2012

Vale a pena conquistar Horizontes!

 Eu e o mundo que me toca
Todas as coisas são reais
Neste acto desemboca
Cada dia sempre mais.
 
Nada é estranho para ser
Toda a coisa tem razão
Mundo é pra conhecer
Na mais ampla dimensão.
 
Eu sou todo o meu começo
E o mundo é transversal
Sou pequeno reconheço
Ele é grande e natural..
 
Nada há de relativo
Na cósmica entidade
Meu pensar  é decisivo
E o agir é realidade.
 
Sou assim por vocação
Não me obriguem a ser monge
Cada hora de paixão
Faz o perto chegar longe!
 
 
Frassino Machado
In JANELAS DA ALMA
 
N. B.  Ligar a  CANTO DE FRASSINO