Arquivo de Setembro 2012

RÉPLICA A HELENA

Setembro 27, 2012
               
  
         A Helena
         “Sem ser de Tróia”
 
Não sei a quem dedicas o poema
Tão cheio de erotismo e singeleza,
Bem forte de palavras com beleza,
Que descreve com garra o velho tema.
 
Há nele qualquer coisa de fatal
Que a todo o homem pode transtornar
Pois, mesmo que não queira, tem que dar
Perante tal mensagem o seu aval.
 
Helena, poeta Helena, é armadilha
Esta tua postura sem caução?
Se tal for como se há-de resistir?
 
Ressalvo em ti o belo e a maravilha,
Doutro modo não tenho coração
E um eros disponível p´ ra curtir!
 
Frassino Machado
In AO CORRER DA PENA

 www.frassinomachado.net

www.opcaopoetica.blogspot.com

https://machadofrassino.wordpress.com

http://facebook.com/atelierpoetico.frassino

https://facebook.com/pages/tertulia-poetica-ao-encontro-de-bocage/129017903900018

Anúncios

NEM GALAAZ NOS SALVARÁ

Setembro 19, 2012

  

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
«É outorgado aos heróis o destino da história»
 
 
Pelo andar que as coisas levam,
Bem ou mal tanto lhes faz,
Que os cobardes não se atrevam
Pode vir um Galaaz!
 
Não há crise que s’ aguente
As bananas já não chegam,
Não há côdeas para o dente
Pelo andar que as coisas levam.
 
A classe politiqueira
Nem ao diabo satisfaz,
Levam tudo em brincadeira
Bem ou mal tanto lhes faz.
 
Mete ao bolso os dividendos,
Os seus lucros não lhe chegam,
Qualquer dia é só remendos,
Que os cobardes não se atrevam.
 
Por enquanto a vaca chega,
Vai teimando o Capataz,
Se o povo desassossega
Pode vir um Galaaz.
 
Pois que venha, sim senhor,
P´ ra na mesa dar um soco,
Ficará tudo melhor
Embora nos saiba a pouco.
 
Ai Graal, santo Graal,
Com jejum e com vigília,
Antes assim do que mal
Para bem desta família!
 
Frassino Machado
In JANELAS DA ALMA

 www.frassinomachado.net

www.opcaopoetica.blogspot.com

http://facebook.com/atelierpoetico.frassino

https://facebook.com/pages/tertulia-poetica-ao-encontro-de-bocage/129017903900018

AQUI – RENASCERÁ PORTUGAL

Setembro 12, 2012

Visita a Guimarães na 1ª semana de Setembro de 201 

Em homenagem a Guimarães
Capital Europeia de Cultura
 
Um rio humano aflui de todo o lado
Não é Babel mas tem a alma viva
Que já deste horizonte é cativa
Na saga de um País atribulado.
 
Oceano de jardins multicolores,
Com dinâmicas fontes cristalinas,
Jogos de luz e sombras diamantinas
Almas puras e alfobre de amores.
 
Monumentos de história restaurada
Desde os tempos medievos relembrada
São agora visita permanente.
 
Ó Guimarães, ó urbe primorosa,
De filhos ancestrais sempre ditosa,
És modelo a brilhar neste presente!
 
 
Frassino Machado
In CANÇÃO DA TERRA

www.frassinomachado.net

http://facebook.com/atelierpoetico.frassino

https://facebook.com/pages/tertulia-poetica-ao-encontro-de-bocage/129017903900018